terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Penas Eternas - Parte 0

7




Prólogo: A Queda

Pensamentos delirantes, caindo num vazio profundo. A dor é insuportável.


O que sou? O que me tornarei?

Não posso mais voltar par a luz, agora ei de me perder na escuridão? tudo que queria era um pouco de calor, calor humano, sentimentos, saber o que era ser livre. Era pedir demais?

E esse será o meu castigo? Por amar uma mortal mais do que deveria, devo sentir meu corpo rasgar-se enquanto despenco das nuvens? Minhas pobres asas se desfazendo em pó... é essa a sensação de cair?

Eu não quero sentir dor...eu não quero morrer...será que é assim sentir-se humano?

Comentários
7 Comentários

7 comentários:

Grey disse...

Um ótimo miniconto! O seu problema agora OD é que obrigatoriamente terá de dar continuação... Amo o tema e espero novidades em breve. =*

"Jamais me contentaria com um crepusculozinho, quando nem mesmo a mais abissal escuridão poderia me deter" (V. Redsky)

Samila Lages disse...

*-*
Meu tema favorito ever! Adoro ver a confusão, o desespero, o delírios de um celestial caindo!
E a necessidade de sentir, de ser o que jamais poderia! O pecado, decadência, degeneração e... Amor?
Amei!

Débora disse...

Calor... Por desejar chegar mais perto do sol, as asas de cera de Ìcaro derreteram.

Aquilo que tanto nos fascina, às vezes (e na maioria delas), deve permanecer a distância, sem contato, sendo apenas a inspiração de uma linda cantiga de amor trovadoresca.

OD disse...

@grey então devo começar a pensar nela...

@Samila que bom que o tema lhe agradou!

@Débora ...às vezes a dor de não poder chegar perto daquilo que desejamos supera nossa razão e nos lançamos de encontro ao sol..ou nos tornamos bardos melancólicos cantando sobre o amor.

E obrigado a todas pelos seus comentarios. =)

Débora disse...

A dor faz parte da vida, e não se apegar por medo de sofrer quando se sabe que QUASE tudo um dia acaba, é passar pela vida sem vivê-la, e o arrependimento que antecede o ultimo suspiro, pode ser bem maior do que toda dor causada pelas perdas ao longo da vida, e a dor desse arrependimento é a unica que não terá tempo de se curar...

Menina Misteriosa disse...

Nem fogo, nem queda me assustam tanto quanto o limbo.

MeninaMisteriosa

Júlio César disse...

Achei muito foda todas as sensações do personagem

Postar um comentário

 
Design by ThemeShift | Bloggerized by Lasantha - Free Blogger Templates | Best Web Hosting

Licença Creative Commons
Contos Perpétuos is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported License.